Impasse no calendário de jornada afeta negativamente os trabalhadores da KSB

Na tarde desta terça-feira (27), o Sindicato realizou uma mobilização com os trabalhadores da KSB, em Várzea Paulista, devido à insatisfação dos companheiros com o calendário de jornada. A diretoria do Sindicato recebeu reclamações pelo fato da empresa ter convocado os companheiros  para trabalhar no sábado (31), no feriado prolongado. O Sindicato entende que a medida tomada pela KSB é de caráter impositivo. 

Segundo as reclamações recebidas pelo Sindicato, foram distribuídos formulários para que os trabalhadores avaliassem a proposta. No ponto de vista do diretor do Sindicato, Luís Carlos de Oliveira (Lú), a KSB foi impositiva e deveria presar pelo diálogo. “Nós nunca fomos contrários ao calendário, sempre fomos favoráveis ao diálogo para que pudéssemos discutir a necessidade produtiva da empresa e, principalmente, colocar em pauta a vida do trabalhador fora da empresa visando a questão social e de bem estar”, declarou o diretor sindical ao lado da vice-presidente do Sindicato, Rose Prado. 

Acompanhado do diretor de base, Valmir José Baldibia (Juruna), o diretor sindical, Eléscio Caldato, lembrou que o calendário de jornada sempre foi debatido na KSB. Caldato ressaltou que o objetivo é sempre contemplar os trabalhadores sem afetar a produtividade da empresa. “Estamos há anos aqui na empresa, e o calendário sempre foi debatido. A cada dois anos nós colocávamos em pauta o formato do calendário de jornada, e sempre visando o que fosse bom para todos. O que está acontecendo atualmente, é que o RH só está pensando no lado da empresa. É muita incoerência”, disse. 

Eléscio reforçou que o Sindicato não concorda com a medida tomada pela KSB. O diretor sindical colocou em votação uma proposta de uma nova mobilização caso a empresa não abra o diálogo com a entidade, a recomendação foi aprovada pelos trabalhadores.