Saúde do trabalhador: sindicalistas e representantes municipais debatem projeto de centro de saúde

Na manhã desta terça-feira (9), representantes do Sindicato voltaram a se reunir com membros da saúde pública de Jundiaí para dar continuidade aos diálogos em torno da criação de um centro de saúde voltado ao trabalhador.

A intenção dos sindicalistas  é viabilizar o projeto por meio de uma parceria entre o Sindicato dos Metalúrgicos, a gestão municipal de Jundiaí, SUS, INSS e o próprio MPT, que investiria recursos provenientes de multa trabalhista.

O gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera, ressaltou que se reuniu com representantes do INSS com o objetivo de levantar dados relacionados às demandas em torno da medicina do trabalho. Com base nas informações coletadas, o gestor argumentou que, no município, não há lacunas no que se refere à reabilitação – muito comum na esfera trabalhista e principal alvo do projeto – , mas existem outros tipos de procedimentos podem ser anexados ao plano. “Temos muitas lacunas assistenciais na saúde.  Proponho que repensemos a proposta para atender demandas reprimidas como saúde mental, por exemplo, que é comum no ambiente de trabalho”, observou.

Os sindicalistas entenderam que o argumento de Texera é válido, mas insistiram que a questão da reabilitação deve ser mantida como parte da essência do projeto. “Sabemos que os dados regionais fornecidos pelo INSS, no que se refere aos atendimentos em casos de reabilitação, nos faz pensar que não há um gargalo. Mas a realidade é um pouco diferente, as situações  que vivemos no dia a dia dentro das empresas e do Sindicato, nos mostra que a essa demanda não aparece, mas existe”, declarou o diretor sindical Wilson Ribeiro (Med). 

A advogada, Drª. Areta da Camara, enfatizou a necessidade da criação de um grupo de trabalho envolvendo diferentes setores trabalhistas e da saúde pública para que o projeto avance. “É preciso firmar um grupo de representantes que mobilize empresas, médicos do trabalho e também sindicatos de outras categorias, para fazer levantamento de dados, apresentar pesquisas e propor ideias”.

Uma nova reunião será agendada nos próximos dias para definir os planos de ação em torno do projeto.

“Mais uma vez tivemos uma reunião com muitas e ideias e avanços pequenos, porém significativos. Saímos daqui com a intenção de convocar outros setores da sociedade com o intuito de universalizar o nosso projeto ”, analisou o diretor de base e membro do Conselho Municipal de Saúde, Daniel Silva

Participaram da reunião o diretor sindical e responsável pela pasta de Saúde do Sindicato, José Carlos Cardoso, o conselheiro da Associação do Metalúrgico e Aposentado (AMA),  José Gabriel Silva, o advogado do Sindicato, Dr. Erazê Sutti, a gerente do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), Marcia Pereira Dobarro, e os representantes administrativos do Centro de Reabilitação Jundiaí (CRJ), Alexandre Bitencourt Moreira e Tarciso Tadeu Nolli.