Assembleia Geral: pauta de reivindicações é aprovada pelos metalúrgicos

As 186 cláusulas que compõem a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), bem como a reposição da inflação – que oscila em torno de 3,25% – e o aumento real, serão as pautas defendidos por sindicalistas e trabalhadores do setor metalúrgico na Negociação Coletiva 2018. A decisão foi tomada na Assembleia Geral realizada manhã deste domingo (16), na Sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí, Várzea Paulista e Campo Limpo Paulista. 

Por ser a primeira negociação entre representantes dos trabalhadores e empresários após a aprovação da nova lei trabalhista, os sindicalistas sentiram a necessidade de descentralizar as mobilizações por meio de reuniões regionais. No entendimento do presidente do Sindicato e da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo (FEDMETALSP), Eliseu Silva Costa, o objetivo agora é unificar as reivindicações de todas as bases do Estado. 

“Será uma negociação extremamente difícil. Neste momento pós-reforma trabalhista, temos que reivindicar e defender as cláusulas sociais que formam a nossa Convenção Coletiva. Por essa razão a nossa Federação marcou presença em cada base metalúrgica do Estado, para entender a necessidade de cada uma delas e formalizar uma pauta sólida”, explicou Eliseu.

Com a pauta de reivindicações, sindicalistas e trabalhadores buscam desviar a categoria dos principais impasses da lei trabalhista atual. “Temos que enaltecer a nossa CCT. A nossa intenção é garantir a nossa integridade, para que o mesmo não seja afetado por absurdos como o trabalho intermitente, a terceirização e o arrocho salarial, já que o piso da nossa categoria é maior do que o da lei vigente”, disse o presidente. 

Eliseu também ressaltou a importância de inserir representantes trabalhistas dentro da esfera política. “A aprovação da reforma trabalhista foi reflexo da falta de representatividade da classe trabalhadora dentro do Congresso. O projeto foi encabeçado por empresários, não houve diálogo algum com representações trabalhistas e isso foi muito ruim para nós. Vamos aproveitar o período de mobilização em torno das nossas pautas e as eleições, para eleger companheiros que nos representem colocar nossos interesses na mesa”.

A pauta de reivindicações será encaminhada para a Federação dos Metalúrgicos (FEDMETALSP), em São Paulo, nesta segunda-feira(17), e de lá o documento será entregue para os grupos patronais da categoria até o dia 26/09.

Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí

0 Comments

No comments!

There are no comments yet, but you can be first to comment this article.

Leave reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *