Oki: pauta sindical enfatiza defesa do emprego

Uma assembleia de mobilização foi realizada pelo Sindicato na manhã desta terça-feira (24), na Oki, em Jundiaí. Os trabalhadores votaram pelo encaminhamento de uma pauta de reivindicações  trabalhistas, elaborada pelo Sindicato, com o objetivo de garantir a proteção do emprego. A intervenção sindical veio após a Oki demitir de cerca de 130 trabalhadores. 

O documento aprovado conta com reivindicações como, estabilidade de emprego para todos os trabalhadores com contrato vigente, cancelamento imediato das demissões, abertura de um programa de demissão voluntária que ofereça benefícios ao trabalhador, entre outras. O Sindicato deu o prazo de 48 horas para que empresa apresente um posicionamento em relação às reivindicações. Caso a Oki não se manifeste, o Sindicato entrará com uma ação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).  

“Muitos trabalhadores demitidos tinham doença ocupacional, o que torna mais difícil a entrada no mercado de trabalho. Por essa razão, nós iremos negociar garantias para os companheiros que foram demitidos e também para os companheiros que continuam atuando na empresa”, disse o diretor de base, Daniel Silva.

Segundo o diretor sindical, Luís Carlos de Oliveira (Lú), desde o começo de 2018 o Sindicato vem debatendo com a Oki assuntos envolvendo baixa produtividade. “Quando percebemos que a empresa começou a dar licença remunerada, nós viemos debater prevendo que o pior poderia acontecer. Com isso, deixamos claro que se houvesse qualquer decisão da matriz japonesa da Oki a respeito de demissões, o Sindicato deveria intermediar”, explicou Lú. 

Para a vice-presidente do Sindicato, Rose Prado, a empresa agiu de má fé por não seguir as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho referentes à demissões.  “A Oki usou a nova lei trabalhista como parâmetro para a sua ação, mas é preciso lembrar que ela pertence ao Grupo 2 e por essa razão possui uma Convenção Coletiva Trabalho. Está negociado na convenção, em caso de demissões em massa é preciso comunicar a entidade sindical”, declarou. 

Em sua fala durante a assembleia, o presidente do Sindicato, Eliseu Silva Costa, enfatizou que o trabalhador merece ser respeitado em qualquer ocasião. “Tudo que nós queremos é que a empresa seja transparente com os trabalhadores para que se evite boatos e decisões equivocadas”, disse. 

Também estavam presentes na assembleia os diretores de base, Leandro Reis, Luciano Mendes Teodoro (Batatinha), Francisco de Assis Pereira, Willian Pereira Reis, Ronaldo de Marchi, Andréa Ferreira Barbosa e Leonice Maria da Silva. 

0 Comments

No comments!

There are no comments yet, but you can be first to comment this article.

Leave reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *