Mobilização do Sindicato sensibiliza Justiça pela recuperação da Sifco

Foi aprovado pela Justiça o plano de recuperação judicial da Sifco. Uma vitória da empresa, dos trabalhadores e também do Sindicato dos Trabalhadores de Jundiaí, Várzea Paulista e Campo Limpo Paulista, que vem acompanhando o caso desde o início. A proposta ainda não foi publicada no Diário Oficial, o que deverá ocorrer nos próximos dias, mas foi assinada na última sexta-feira (2), na 5ª Vara Cível de Jundiaí.

O departamento jurídico do Sindicato, que já vinha acompanhando o andamento do caso no Fórum de Jundiaí desde o início, intensificou a sua atuação, ponderando com a juíza do processo sobre os prejuízos causados pela demora na homologação do plano, especialmente a questão da contagem do prazo para o pagamento dos créditos trabalhistas. A medida surtiu efeito e o plano foi homologado na semana passada.

Vale lembrar que a Sifco entrou com pedido de recuperação judicial em maio de 2014. Inicialmente, a empresa apresentou uma proposta que previa a venda de unidades e bens de forma livre, o que não trazia segurança para a quitação dos créditos trabalhistas. Esses créditos deveriam ser pagos em um ano, conforme o plano original.  

 O Sindicato negociou com a Sifco, que aceitou alterar o plano de recuperação com o pagamento dos créditos trabalhistas em duas parcelas, uma em seis meses e outra em até 12 meses. Também conseguiu incluir uma cláusula que prevê que a venda de qualquer unidade do grupo deve ter a participação do Sindicato como observador.  Essa proposta foi aprovada pela maioria dos credores. Desta maneira, assim que a decisão da recuperação judicial for publicada, a empresa terá seis meses para pagar a primeira parcela aos trabalhadores.

Eliseu Silva Costa, presidente do Sindicato, garante que toda a diretoria executiva e de base, além do setor jurídico da entidade, sempre estarão acompanhando qualquer situação que envolva a integridade dos trabalhadores. “O nosso histórico de luta na Sifco já é muito conhecido, todos nós sabemos da importância no cenário nacional que essa empresa possui. Por conta de tudo isso, estaremos sempre dispostos a realizar lutas e esclarecimentos para garantir o que é melhor para os companheiros”. 

 HISTÓRICO DE LUTAS

 No mês passado, o Sindicato esteve ao lado dos trabalhadores em um impasse na Sifco. Cerca de 600 funcionários e diretores da entidade bloquearam as portarias da metalúrgica para impedir que a empresa Dana retirasse o material produzido pelos funcionários.

Com essa ação, conseguiram que a Justiça determinasse que o pagamento das peças fosse para uma conta judicial para evitar o bloqueio bancário por conta do pedido de recuperação judicial, valor este que será utilizado exclusivamente para o pagamento dos salários do mês de outubro.

Natanael Onofre Matias (Caé), diretor do Sindicato, destaca a importância do manifesto. “Graças ao empenho do Sindicato junto aos trabalhadores foi possível mostrar o quanto esse pedido de recuperação judicial é extremamente importante para garantir o futuro da empresa”, explicou.
 
Agora, com a aprovação do plano de recuperação, a empresa poderá colocá-lo em prática, tendo mais e melhores condições para negociar com clientes, fornecedores e investidores, o que deve contribuir para a sua efetiva recuperação. “O que pretendemos é a garantia do emprego e dos salários dos trabalhadores”, conclui Eliseu.